quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Analisando a música "American Idiot", de Green day, gramático e criticamente

Quem lê esse texto perto da data de sua postagem sabe que, pelo contexto histórico, a escolha da música não pode ter sido fruto duma escolha aleatória. O que eu percebi é que, além da música American Idiot, da banda americana de punk rock Green Day, ter ingredientes linguísticos maravilhosos para qualquer estudante de Inglês, também é um reflexo nítido da situação política da época em que foi lançada (2004): Foi o ano da campanha presidencial de George Bush onde ele foi reeleito. A música passa uma mensagem que pôde ser aplicada perfeitamente ao cenário político e social da época e que, infelizemnte, inspira uma reflexão para a realidade de hoje. Vamos lá!

[Verse 1]
Don't want to be an American idiot
Devido ao contexto histórico descrito anteriormente, o termo american idiot, que é um termo ofensivo e de tradução intuitiva, pode ter dois destinatários: George Brush ou simplesmente o cidadão americano que acredita em qualquer coisa que a mídia e o governo dizem sem questionar.

Don't want a nation under the new mania
nation e mania são palavras cognatas, ou seja, possuem a mesma origem com ortografia igual ou semelhante da nossa língua, cujo significado também é o mesmo. Mania se refere a qualquer entusiasmo, interesse ou desejo extremo por alguém ou alguma coisa: tudo o que Billie Joe não quer para a sua nação. Algumas manias podem ser inofensivas, como a dos Beatles ou do Pokémon, mas a mania que ele está prestes a descrever não.

And can you hear the sound of hysteria?
Hysteria também é uma palavra cognata. Mas o que seria de fato histeria? Histeria é um sentimento em seu nível extremo, seja de medo, raiva, empolgação; um sentimento que não pode ser controlado facilmente. As menções que Billie Joe, vocalista da banda, faz a palavras como histeria ou mania são correlacionadas a sua crença de que a mídia aliena o americano "idiota" a se envolver com o terrorismo nos Estados Unidos. Numa época ainda muito marcada pelo atentado terrorista de 11 de Setembro, Billie Joe acredita que a mídia só piora a situação ao criar uma histeria coletiva.

The subliminal mind fuck America
Aqui nós temos o termo subliminal, que é o adjetivo subliminar, que se refere a qualquer mensagem que não é entendida pela mente consciente, mas que ainda assim é capaz de exercer influência sobre ela.

[Hook]
Welcome to a new kind of tension
All across the alien nation
alien nation separado é um trocadilho que Billie encontrou para se referir ao conceito de alienation (junto). Esse trocadilho pode ter vários significados, como: alien se referindo ao imigrante, já que os Estados Unidos é uma nação repleta de imigrantes; alien se referindo a própria nação, que em sua concepção virou alienígena no sentido de diferente e estranha; alien se referindo aos políticos americanos que são como alienígenas e pensam duma maneira diferente.

Where everything isn't meant to be okay
Em Inglês, a expressão "to be meant" é usada em contextos onde alguém ou alguma coisa é de alguma forma destinada a fazer ou ser algo. Por exemplo: My dream is meant to come true. (Meu sonho é destinado a se tornar realidade.) Esse verso pode ser traduzido como: "onde tudo não é destinado a ficar bem". Joe, aqui, faz mais uma crítica a mídia ao acreditar que ela só está feliz quando prevê um terrorismo ou quando coloca todo mundo em pânico. Para ela, nada pode estar bem.

Television dreams of tomorrow
We're not the ones who're meant to follow
For that's enough to argue

[Verse 2]
Well maybe I'm the faggot America
Fagoot é um termo pejorativo para se referir a um homem homossexual. Na analogia da música, entretanto, ele faz menção a noção dos conservadores que acham que aqueles que se opõem a guerras são "faggots". Então, ele diz que, se opor-se a guerras e encorajar uma mudança cultural é ser um "faggot", ele talvez seja um.

I'm not a part of a redneck agenda
redneck também é um termo ofensivo e se refere geralmente a um membro (branco de preferência) das áreas rurais dos Estados Unidos, especialmente no Sul. É o que chamaríamos de matuto em Português. Nesse contexto político, entretanto, um redneck é aquela pessoa extremamente conservadora, com visões preconceituosas e ultrapassadas.

Now everybody do the propaganda
Você já deve ter notado que a música realmente é repleta de cognatos, e aqui nós temos mais um: propaganda. A propaganda que Billie se referia era a que Fox News, um canal americano de notícias muito famoso, fazia em prol de uma "idade da paranoia", termo utilizado no verso seguinte.

And sing along to the age of paranoia

[Hook]
Welcome to a new kind of tension
All across the alien nation
Where everything isn't meant to be okay
Television dreams of tomorrow
We're not the ones who're meant to follow
For that's enough to argue

[Guitar Solo]

[Verse 3]
Don't want to be an American idiot
One nation controlled by the media
Information age of hysteria
It's calling out to idiot America

[Hook]
Welcome to a new kind of tension
All across the alien nation
Where everything isn't meant to be okay
Television dreams of tomorrow
We're not the ones who're meant to follow
For that's enough to argue
 

0 comentários:

Postar um comentário